PERSONALIDADES NOÉTICAS QUE MARCAM A HISTÓRIA DO MUNDO 

FATOS HISTÓRICOS

DE PERSONALIDADES

 

NOÉTICAS QUE

MARCAM A

 

HISTÓRIA

 

DO MUNDO

FATOS IMPORTANTES

NÃO HÁ NADA A TEMER PRESIDENTE, SÓ A D-US!

   

   "incrivelmente, a Torá mostra uma personalidade associada ao momento arquetípico em que a ‘Arca de Noé pousa’, aludindo ao início da nova fase de ‘alívio, sobrevivência e esperança’ para o Brasil. As duas palavras reveladas formam o nome מישל טמר..."                                                                                            

ALGUNS FATOS IMPORTANTES

   

   Robert H. Michel, congressista eleito pela primeira vez em 1956 para o 85º Congresso do distrito congressional 18 em Illinois (EUA). Serviu de sua eleição em 1956 até sua aposentadoria em 1994. Ele foi Minorias da 94ª do Congresso. Serviu como líder da minoria, embora ele preferiu o título de líder republicano, a partir da 97ª através do 103º do Congresso. Foi co-patrocinador da declaração de 1991,  relativa às Leis de Noé, juntamente com Richard H. Gephardt. 

     

     Antonin Scalia, ex juiz da Suprema Corte dos Estados Unidos com um  grande fascínio pela lei judaica. As circunstâncias o levaram a desenvolver correspondências com o Rabino Noson Gurary. Durante esta troca, o Sr. Scalia mencionou sua "fascinação com a lei judaica". Isso levou o Rabino Gurary a fundar o Instituto Nacional de Lei judaica (NIJL). O Instituto promove cursos de direito baseado no Talmud em escolas de direito americanas. A fundação da NIJL foi celebrada num jantar em 5 de novembro de 2002. O Sr. Scalia e outros dois juízes do Supremo Tribunal, estavam entre 200 convidados para o jantar. O jantar foi realizado no prédio da Suprema Corte. Ele foi o primeiro juiz a usar no mundo, o termo “áz" (este é um conceito explicado no Talmud, e para o português é traduzido simplestemente como "ousadia") em uma decisão do Supremo Tribunal. O uso do palavra áz/ousadia também comporta com a sua filosofia jurídica, pois o Sr. Scalia favorece a visão 'nonpreferentialist' (termo aceito no mundo jurídico e  traduzido como 'não preferencial'), que postula que o governo pode apoiar a religião em geral, mas não de uma forma que prefere nenhuma religião em particular. Para o Sr. Scalia, usar um termo de uma linguagem cultural judaica, em uma decisão da Suprema Corte,  está de acordo com a doutrina jurídica não preferencial.

(Notícia no The Jerusalem Post , 9 de novembro de 2002)

 

     "agora, a Torá explica que existe uma 'ousadia' santa. Como trazem os mestres: Hevêi áz kanamer, 'Seja valente como o leopardo' (Pirkê Avót/Ética dos pais 5:20). O termo para valente/audacioso no bom sentido (kasher) é Áz. O que aprendemos aqui é que existe uma midá ('atributo de caráter') de ser 'arrogante' (por assim dizer) para defender D-us..."                                                                                                             

      Antonin Scalia                                         fez  e cumpriu o juramento de defender a Constituição dos Estados Unidos e da Declaração de Direitos.      

   

     Richard Gephardt, serviu como líder democrata da Câmara dos Representantes dos EUA, líder da maioria da Câmara, e como um dos democratas principais da nação durante grande parte das últimas duas décadas. Em 05 de março de 1991, Richard Gephardt, como co-patrocinador da resolução 104, diz em parte, como segue abaixo:

     "considerando que o Congresso reconhece a tradição histórica de valores éticos e princípios que estão na base da sociedade civilizada e sobre a qual a nossa grande nação foi fundada; Considerando que esses valores e princípios éticos têm sido o alicerce da sociedade desde os primórdios da civilização, quando eles eram conhecidos como as Sete Leis de Noé".

(Congresso dos Estados Unidos).

     George Bush, indicou em Direito Público 102-14 no congresso, que os Estados Unidos da América foi fundado sobre as Sete Leis Universais de Noé:

    "ao enfrentarmos novos desafios e acolher novas oportunidades, a nossa sociedade deve continuar a promover o bom caráter e os valores fortes. Através do estudo e ensino da lei judaica e da sua filosofia, é  que você está contribuindo para uma crescente cultura de serviço, cidadania e responsabilidade na América ".

     A ocasião era um jantar kosher realizada no edifício da Suprema Corte dos Estados Unidos em Washington, DC pelo Instituto Nacional de lei judaica para comemorar sua fundação. De acordo com o Jerusalem Post, o objetivo do Instituto é ensinar lei judaica para juristas e estudantes de Direito dos Estados Unidos, e de apresentar pareceres jurídicos nos tribunais dos EUA.